O Despertar

Neste período de grandes e importantes mudanças no mundo, o que mais precisamos é a consciência do despertar para quem realmente somos em essência. Resgatar a nossa força interna e assumir aquilo que de melhor trazemos das experiências de outras existências. E aprender a lidar com as nossas limitações e dificuldades para assim, entrar em equilíbrio com a nossa natureza interna.  


Durante muito tempo, fomos ensinados e levados a acreditar que a força do poder do Criador, incluindo também os santos, eram as únicas forças capazes de realizar milagres em nossas vidas.

Na realidade, somos um Ser Espiritual que passa por uma experiência material aqui na Terra, e não o contrário. A espiritualidade já flui e existe dentro de nós. Só precisamos colocá-la em prática. Fortalecê-la.

Somos co-criadores de nossas vidas junto com todas as divindades. Temos força necessária para criar, transmutar e nos libertar de todas as limitações, medos e os aspectos negativos do nosso ser.

Todo ser humano é dotado de muita luz e força capazes de despertarem e fortalecerem as virtudes existentes em nós. Para então assumirmos os nossos melhores princípios, a fim de que identifiquemos e encontremos os aspectos negativos do nosso ser. E só então trabalhar e vencer esses obstáculos e dificuldades que afetam todas as áreas de nossas vidas.

Ao trabalhar as virtudes, é possível resgatar a força interna, o poder de decisão, o poder de assumir o controle de nossas vidas.

Por passarmos por várias experiências em outras encarnações, fomos acumulando conhecimentos, aprendizados e valores. Todos nós temos as mesmas capacidades, temos o mesmo acesso a todas essas informações. Mas destas mesmas experiências também acumulamos fraquezas, resquícios de negatividades, que precisam ser trabalhados. Precisamos nos libertar desta negatividade para então podermos estar em harmonia com o nosso Eu Maior.

Um dos primeiros passos para esse despertar de nossa consciência é deixarmos de lado o ego e o orgulho. Com clareza, analisarmos a nossa personalidade, identificarmos quais sãos os nossos pontos fracos, os nossos defeitos. Olhar internamente e reconhecer, sem julgamento, a negatividade que carregamos dentro de nós. Mas também identificar aquilo que temos de melhor: as virtudes que já estão fortalecidas.

por Patricia Merkler